Roedores aprenda a evitar a presença dessa praga 

Roedores aprenda a evitar a presença dessa praga

Roedores aprenda a evitar a presença dessa praga – Os processos de urbanização acelerada, somados a uma deficiência de saneamento básico e educação sanitária deficiente, são causas da grande proliferação de ratos nos grandes centros urbanos.

Roedores aprenda a evitar a presença dessa praga 

Em Belo Horizonte, estima-se que existem 7-10 ratos por habitante, número que preocupa especialistas em saúde pública e desperta a atenção da população. A presença de animais de estimação nos domicílios potencializa este problema, principalmente por causar uma oferta de resíduos alimentares.


Dicas para manter o ambiente livre da presença de ratos

– Acondicione alimentos e rações animais em recipientes fechados, isolados do contato com o meio externo, para que assim, roedores não tenham acesso a fonte de alimento.

– Com o auxílio de um Veterinário, estabeleça os horários de refeições diárias dos animais, evitando a exposição de rações em vasilhas, durante o período da noite. Ratos associaram a presença de animais de estimação com fonte de alimento e, geralmente, buscam comida no recipiente utilizado para alimentação dos mesmos.

– Vasilhas de água utilizadas para hidratação dos animais devem ser limpas diariamente e, se possível, recolhidas durante a noite. Ratos ao urinarem em ambiente úmido, tornam-se potenciais transmissores de Leptospirose.

– Evite o acúmulo de materiais inservíveis no ambiente. Ratos são dependentes de abrigo, portanto, locais entulhados são propícios à infestação por roedores.


Palavra de Especialista

A proliferação dos ratos ocorre em alta velocidade (tempo de gestação de uma fêmea é de 23 dias), o que possibilita altas infestações, em curto espaço de tempo. Processos de controle ambiental desta praga devem ser dirigidos por especialistas, para que não haja riscos para humanos e animais.

A principal ameaça existente nestes casos é a transmissão da Leptospirose, zoonose transmitida principalmente pela urina das ratazanas. Ao contratar um serviço para eliminação de ratos e camundongos, procure empresas registradas na ANVISA (Vigilância Sanitária), priorizando àquelas que apresentam Médicos Veterinários em seu corpo técnico.


Rato

Naturais da Ásia, eles encontraram meios de embarcar em navios e se espalharam com relativa facilidade para todos os continentes a partir do século 16. “Esses roedores transmitem por meio de fezes, urina, pelos, saliva e sangue uma série de doenças, como a leptospirose”.

Conta o biólogo Jeferson de Andrade, pesquisador de desenvolvimento de produto e mercado da Basf. Outras enfermidades relacionadas a eles são o tifo, a peste bubônica, a febre hemorrágica, além de sarnas e micoses. “As três espécies mais comuns são sempre atraídas pela facilidade de acesso a água e comida”.

Explica a bióloga Maria Fernanda Zarzuela, analista da Bayer.


Como evitar: Tenha uma despensa limpa e arrumada. Nunca deixe a ração de cães e gatos espalhada pela casa. Instale telas em ralos e nas outras aberturas da residência.


Como eliminar: Iscas de raticida colocadas atrás de gavetas, armários e eletrodomésticos são a saída mais efetiva. Ratoeiras e colas estão disponíveis, mas não são métodos muito práticos.


Fique de olho neles

Rattus norvegicus: A ratazana chega a 25 centímetros e possui uma pelagem cinza ou castanha.
Rattus rattus: O rato preto é um excelente escalador. Monta o ninho em telhados.
Mus musculus: Os camundongos são diminutos e curiosos. Vivem em pequenas colônias.

Roedores aprenda a evitar a presença dessa praga 
Rolar para o topo